Amor de mãe

porEquipe de Informática

Amor de mãe

O amor de uma mãe pode ser traduzido em uma só palavra: doação. Isso porque o verbo doar significa dar sem exigir nada em troca ou em outra qualquer forma de retribuição. Toda pessoa que, efetivamente, se doa, renuncia a si mesma. Por esta razão, todo doador carrega consigo um sentimento, que é a mais completa forma de amor.

Quem ama se doando por completo coloca em primeiro plano o bem-estar, a segurança e a felicidade de seu próximo, não importando quanto sacrifício tal conduta lhe imponha, não importando que seja nos momentos de saúde ou de enfermidade, de alegria ou de tristeza. O que importa é que o outro, seu próximo, se sinta bem, efetivamente amado e feliz.

O amor de mãe, como fruto especial da criação Divina, contempla todos esses valores quando no exercício de seu compromisso materno. É impossível falar de mãe sem falar da pureza do amor que ela traz e carrega em seu coração, não levando em conta qual seja o momento ou a dificuldade pela qual passa seu ente querido ou nem como ele esteja.

Uma verdadeira mãe, como que inspirada em Maria Santíssima, Mãe de Jesus, que enfrentou todo o sofrimento de seu Filho querido, de forma equilibrada e em harmonia consigo mesma, é capaz de olhar, com lágrimas nos olhos, o presente e o futuro venturoso ou árduo de seu filho, sem apresentar qualquer esmorecimento. Talvez seja por isso que Deus dotou a mulher com uma capacidade de luta e de doação inigualável e insuperável.

No rosto de uma mulher, que assume íntima e inteiramente sua maternidade, como um compromisso divino, fica sempre estampada a presença iluminada da esperança com um brilho vivo de quem jamais irá desistir de seu sagrado compromisso assumido perante à vida.

Como criação Divina, a mãe é um Anjo de Luz escolhido especialmente por Deus para tomar conta, não só de seus filhos queridos, mas de todos os que compõem sua família, em suas variadas necessidades materiais, afetivas e espirituais. É ao mesmo tempo, além de mãe, conselheira, amiga, enfermeira, esposa, serviçal, amada e, às vezes, até odiada, porque é uma disciplinadora sempre exigente.

Na condição de disciplinadora, paciente, carinhosa, exigente com doçura, está sempre pronta a ensinar os primeiros passos e as primeiras palavras sem nunca esquecer de ensinar a seus queridos filhos o caminho de Deus através dos bons conselhos e da oração. Para as verdadeiras mães não importa que seus filhos tenham vindo através de seu ventre ou que tenham vindo pela misericórdia divina da adoção. Todos são seus filhos do coração.

Finalmente, é essa mulher que revestida de amor, de ternura e do compromisso, como um Anjo Guardião Divino, guarda, protege, acompanha e orienta sempre seus filhos para o caminho do bem. E, ao longo do tempo, quase todas essas mulheres chegam a perder seu nome próprio, para que seja identificada e chamada por seus filhos, de forma simples e carinhosa, de apenas: MAMÃE.

Redação e adaptação de texto: Naelson Coutinho da Silva

 

Facebooktwittergoogle_plusmailFacebooktwittergoogle_plusmail

Sobre o Autor

Equipe de Informática administrator

Os autores destas postagens, fazem parte do voluntariado dos hospitais espirituais do nordeste vinculados ao Núcleo Central de Orientação de Medicina Espiritual do Nordeste.